Com o fim das moratórias privadas em 31 de março o que posso fazer?

Atualizado: 23 de mai. de 2021


O BCE (Banco Central Europeu) já veio afirmar que não vai prolongar as moratórias. Como tal, o melhor é começar já a pensar em alternativas. E que alternativas são essas?

1. Negociar a taxa de juro do seu crédito

Sabia que existem bancos a dar 1%, cobrindo todas as despesas com a transferência de crédito? Habitualmente o seu banco não baixa muito o valor, pois não é obrigado a fazer esta alteração ao contrato, mas os outros bancos querem mais clientes e como tal se recorrer a um intermediário de crédito, como a Decisões e Soluções, todo o serviço que passa pela procura do melhor spread e tratamento da parte burocrática é realizado sem qualquer custo para si, pois quem paga aos intermediários de crédito são os bancos. Fica com uma prestação mais baixa e não tem trabalho nenhum com o assunto.


2. Aumentar o prazo do crédito

Aumentar o prazo do crédito em alguns anos. É verdade que no total vai pagar mais juros, mas no curto prazo pode tornar a prestação sustentável economicamente.

3. Pedir um período de carência

Pedir para só pagar juros durante, por exemplo, 2 anos.



4. Pedir um diferimento de capital

Tentar solicitar um diferimento de 30 ou 40 mil euros para a última prestação do contrato. Até lá os juros são pagos sobre o total do empréstimo, mas a amortização recai sobre o valor sem a última prestação.


5. Negociar o seguro de vida

A maioria não se apercebe do valor que paga pelo seguro de vida. Sobretudo a partir dos 45 anos o valor é sempre a subir! Se o banco não lhe propuser uma boa solução veja a escritura e se tem ou não alguma penalização por retirar o seguro do banco. Se não tiver penalização certamente vai encontrar um seguro muito mais barato fora do banco. Se tiver penalização mais uma vez sugerimos que fale com um intermediário de crédito, como a Decisões e Soluções, que vai ajudar a avaliar a sua situação em particular, garantindo a opção de transferir o crédito para outro banco uma poupança media de 50 %, podendo ainda conseguir melhorar o spread.


6. Solicitar uma consolidação de créditos

Este procedimento consiste em juntar por exemplo o crédito pessoal, os cartões de crédito e o crédito automóvel ao seu crédito à habitação, podendo baixar as suas prestações totais para metade. De notar que pagará mais juros, mas pode ser uma solução de sustentabilidade.


7. Acionar o PARI ou o PERSI

Como último recurso pode pedir para acionar um mecanismo legal denominado PARI (Plano de ação para o risco de incumprimento), caso ainda não tenha entrado em incumprimento ou o PERSI (procedimento extrajudicial de regularização de situações de incumprimento) caso já tenha entrado em incumprimento. O banco é obrigado por lei a apresentar-lhe propostas, o que não significa que seja possível chegar a acordo.


Atenção: De todas as soluções apresentadas, apenas a denominada PERSI (procedimento extrajudicial de regularização de situações de incumprimento) estará disponível para as pessoas que falhem com o pagamento das prestações ao banco.


SOLICITAR ANÁLISE DO MEU CASO


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo